quarta-feira, 3 de agosto de 2011

O navio de cristal

"Oh, tell me where your freedom lies.
The streets are fields that never die.
Deliver me from reasons why
You'd rather cry.
I'd rather fly.

The crystal ship is being filled.
A thousand girls. A thousand thrills.
A million ways to spend your time.
When we get back,
I'll drop a line."
The Crystal Ship - The Doors

Tá quase na hora, meu amor, o barco ta partindo e meu coração tá partido no meio, tá partido em quatro, tá partido em mil vítreos pedacinhos de igualmente vítreo e translúcido sentimento de querer mais que bem, de querer mais que muito, de querer você. Você que já ficou mais mau humorado e eu, do meu jeito discreto, também já me preparo pra não te ter à toda hora. Queria ainda poder tê-lo à toda hora, queria te ter para sempre, mas queria, sobretudo e com todas as forças, assim como são fortes e concentradas de saudade as tuas lágrimas quando fala da minha meninice, tê-lo tido há mais tempo. Queria ter crescido na tua companhia, ter brincado com você na rua, ter te visto quando era o menino gordinho com a mancha na testa, ou pelo menos ter começado a ver o mundo como mundo perto de você, tendo a sua opinião pra acrescentar à minha, ter te dado o meu primeiro beijo, ter te apresentado a minha vida como era antes dessa confusão tão grande dentro e fora de mim. Mas não há mais tempo... Aqui estamos nós, separados por alguns quilômetros e uma pilha enorme de medo, orgulho e raiva que transpomos sempre com doses intensas de amor suficientes para arrepiar os pelos e o coração. É que meu rosto se encaixa no teu, teu riso me acalma e minha voz te encanta como te encantam os solitários quereres dos mais sós. Mas aguenta firme aí que eu aguento daqui; segura daí, benzinho, as tuas verdades que eu seguro daqui as minhas que embora apontem para coisas bem diferentes se unem e acabam com a gente. Ambos sabemos no que precisamos ceder e deixar de ser para continuar aguentando firme. Eu aguento, eu passo por cima, eu atropelo tudo, e você? Eu sei, sei que sim, então me abraça forte! Me abraça que um dia tudo isso vai passar, a final de contas, meu amor, estamos só no primeiro capítulo da nossa história, e sempre, eu sempre vou ajeitar a sua correntinha, e sempre, sempre que você me fizer aquela pergunta, seja qual for a época ou a circunstância, a resposta vei ser a mesma: "Uun... é do tamanho de uma retissência!".

3 comentários:

Luara Q. disse...

Adorei a intensidade das tuas palavras.

L. J. Y. disse...

E uma reticência é um infinito de imaginação =)!

Fabio Rocha disse...

Passei pra deixar um beijo!